top of page

LAUDO TÉCNICO DE 

RECLASSIFICAÇÃO DE MONTA

 

A reclassificação de veículos de "grande monta" ou "média monta" é um processo realizado quando um veículo é classificado dessa forma em um Boletim de Ocorrência de Trânsito (BAT) e está sujeito a um impedimento administrativo no DETRAN. Essa classificação geralmente é feita com base na avaliação de danos causados ao veículo em um acidente.

 

No entanto, em alguns casos, o BAT pode não ter sido preenchido corretamente ou a avaliação inicial do policial pode não estar precisa, o que resulta em uma classificação inadequada do veículo. Nesses casos, é possível solicitar uma reclassificação por meio do processo de Laudo de Recuperabilidade, seguindo as diretrizes estabelecidas pela Resolução 810/2020 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito).

O processo de reclassificação geralmente envolve os seguintes passos:

1. Antes de realizar qualquer reparo no veículo, entre em contato com um engenheiro credenciado pelo Conselho Regional de Engenharia (CREA) para solicitar orientações sobre a viabilidade de recuperação do veículo. O engenheiro poderá avaliar os danos e emitir um laudo de recuperabilidade.

2. Busque a autorização prévia no DETRAN. Você precisará reunir a seguinte documentação:     

  • Cópia do Certificado de Licenciamento Anual (CLA) do veículo;

  • Cópia do Certificado de Registro do Veículo (CRV), também conhecido como recibo de transferência;

  • Cópia ou foto da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do proprietário do veículo;

  • Cópia do comprovante de endereço do proprietário do veículo;

  • Laudo de reclassificação de monta, emitido pelo engenheiro responsável;

  • Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do engenheiro responsável;

  • Cópia completa e legível do Boletim de Ocorrência do Acidente;

  • Notas fiscais de consertos realizados no veículo;

  • Relatório que descreva um breve resumo do acidente, conforme registrado no boletim de ocorrência, e inclua a data em que o proprietário teve conhecimento da classificação dos danos e da classificação de monta.

3. Após receber a autorização prévia, realize todos os reparos necessários no veículo e guarde os comprovantes, como notas fiscais dos serviços e das peças adquiridas.

4. Leve o veículo a uma Instituição Técnica Licenciada (ITL) credenciada pelo Inmetro e homologada pelo Denatran para obter o Certificado de Segurança Veicular (CSV).

5. Certifique-se de realizar a vistoria de identificação veicular.

6. Dirija-se à unidade do DETRAN onde o veículo está registrado e solicite o desbloqueio do veículo. Certifique-se de levar todos os documentos necessários, incluindo o laudo de vistoria. Pague as taxas de emissão dos novos documentos.

7. Após o pagamento das taxas, a unidade do DETRAN emitirá um novo conjunto de documentos (CRV/CRLV), com o número do Certificado de Segurança Veicular (CSV) registrado no campo de "observações".

Os documentos necessários para que um despachante dê entrada no DETRAN de origem do veículo, representando o proprietário, são os seguintes:

1. Procuração para representar o proprietário do veículo, devidamente autenticada;

2. Cópia do Certificado de Licenciamento Anual (CLA) do veículo;

3. Cópia do Certificado de Registro do Veículo (CRV), que é o recibo de transferência;

4. Cópia ou foto da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) do proprietário do veículo;

5. Cópia do comprovante de endereço do proprietário do veículo;

6. Laudo de reclassificação de monta emitido pelo engenheiro responsável;

7. Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) do engenheiro responsável;

8. Cópia completa e legível do Boletim de Ocorrência do Acidente;

9. Notas fiscais de consertos realizados no veículo;

10. Relatório descrevendo um breve resumo do acidente conforme registrado no boletim de ocorrência, incluindo a data em que o proprietário teve conhecimento da classificação dos danos e a classificação de monta.

 

Entre em contato e solicite um orçamento!

bottom of page